quinta-feira, 4 de junho de 2015

As doenças mais comuns a nossa visão

Conheça as principais  doenças que prejudicam  a visão e aprenda prevenir, evitá-las ou tratá-las.
A nossa visão é responsável de captar e enviar informações de tudo que acontece para o cérebro que logo processar e decifra as informações emitidas. Contudo a cada dia que passa com tantas informações e inovações a nossa visão são bombardeadas por poluições visuais, seja ela de imagens, símbolos e informações digitalizadas. Outros agressores que somam juntas a elas, são poluição e a secura do ar. Com isso nossa vista vai ficando sobrecarregada e cansada, trazendo uma série de complicações aos nossos olhos.

Como a visão é algo muito precioso e de suma importância para todo ser humano, ela deveria ter um tratamento especial. Porém, isso não  acontece. De acordo com a pesquisa realizada pelo o Ibope a pedido da SBG (Sociedade Brasileira de Glaucoma), 46% da população não faz check-ups para prevenir doenças. Para levantamento dos dados, foram ouvidas cerca de  2002 pessoas, nos quais revelou que a falta de informaçao é grande. Por exemplo: 40% das mulheres acham que após tratamento do glaucoma, é possível voltar a enxergar. O que é um grande equivoco, pois essa doença pode até ser controlada como havia explicado no artigo glaucoma, mas visão uma vez perdida não é mais recuperada. Infelizmente!

Quais os tipos de doenças que podem atacar os nossos olhos


CVS (Computer Vision syndrome): Este se trata de um mal bem comum a quem faz o uso de computador, smartphone e tablet. Um exemplo clássico: Olhos vermelhos, ardor, fadiga ocular, coceira e dor de cabeça. E pior que ainda deixa a imagem desfocada ou dupla. Contudo, vale lembrar que isso não e culpa da tela. Segundo o oftalmologista Fernando Tarcha, da faculdade de Medicina da ABC, “Em atividades que exigem o foco para perto, piscamos 20% menos, e isso reduz a lubrificação do olho”. Por isso, é que sentimos todo o problema citado acima.  

O sofrimento é maior para quem tem astigmatismo, miopia e hipermetropia, haja vista além do esforço normal eles também fazem esforço extra para enxergar. O repouso e analgésico aliviam. Mas se pode prevenir pra quê remediar. Vamos às dicas para prevenir tais tormentos:
  • Descansar as vistas a cada 1h de trabalho;
  • Desviar da tela e mirar o infinito;
  • A distância recomendada do monitor é de 50 a 65 centímetros do nariz e um pouco abaixo dos olhos;
  • O médico pode indicar um colírio para lavar, nutrir e proteger.

Olho Seco: Quem tem incomoda muito. Existem dois vilões que podem agravar ainda mais esta doença, o ar condicionado e a baixa umidade do ar. Está doença tem uma fatia de 30% da população e é mais comum a partir de 40 anos, principalmente em mulheres na pós-menopausa, quem faz uso de diuréticos, antidepressivos e remédios para emagrecimento. Atenção aos sinais de alerta:
  • Sensação de areia nos olho;
  • Visão turva;
  • Pode ocorrer lacrimejamento (como de choro).
Tratamento: É feito com colírios lubrificantes e umidificadores de ambiente.

Conjuntivite Alérgica: Normalmente está doença se dá devido aos produtos que provocam reações alérgicas, fumaça e o cloro da piscina que podem originar reações como, por exemplo: coceira, inchaço da pálpebra e sensibilidade à luz e vermelhidão. Esta doença é mais comum em crianças que têm asma ou renite. Ela se manifesta também na fase adulta. 

Tratamento: É feito a base de colírios antialérgicos, porém não devem ser usado por conta própria e sim sob prescrição médica.

Glaucoma: Uma doença silenciosa, crônica, que aumenta a pressão intraocular e que pode causar lesões nos nervos óticos e pode levar a cegueira, se não tratada de maneira adequada. Para saber maiores detalhes dessa doença clique aqui. Neste artigo fala detalhadamente como surge e como tratá-lo.

Vista Cansada:  Nome oficial desse problema presbiopia, surge após os 40 anos. O músculo que é responsável de contrair a lente do olho (cristalino) para focar algum alvo próximo, ou seja,  perde a força, então, fica difícil de ver de perto.

Tratamento: De acordo com o oftalmologista Eduardo de Luca, do Instituto de Molésia Oculares, em São Paulo, a correção para este problema é feita com óculos, lente de contato ou intraoculares introduzido através de cirurgia.

Catarata: A cada ano que passada no Brasil aumenta o número de pessoas com catarata, uma doença que aos poucos vai deixando o cristalino opaco e a visão embaçada. Embora sejam mais comuns em idosos, há registros também na faixa etária dos 50 anos.

Tratamento: De acordo com André Berger, a melhor hora de fazer a cirurgia é quando a doença está no estágio mais avançado, ou seja, quando prejudica a sua atividade.

Degeneração da retina: Segundo o médico Danilo Soriano, do Hospital das clínicas da Universidade de São Paulo, “Esta doença afeta as células do meio da retina, levando à perda da visão central e da capacidade de ver detalhes, atrapalhando a leitura”.

Tratamento: Esta doença cresce com idade, mas a partir dos 50 anos dá para identificar os sinais que ela emiti, e assim começar o tratamento para retardo do processo.

Riscos Paralelos

Algumas doenças podem piorar ainda mais o estado de sua visão, bem como Diabetes, hipertensão arterial e tabagismo este comprometem os nervos e os vasos que irrigam os olhos. Um outro fator bem comum, é uso de colírio por conta própria, pois o mesmo é um risco a saúde dos olhos.O recomendável é aderir uma dieta rica em nutrientes acrescentando:
  • Fonte de ômega 3 ( Sardinha e salmão);
  • Antioxidantes (Verdura verde-escura, hortaliças, fruta de cores vivas).
Outra recomendação dada pela a Sociedade Brasileira de Oftalmologista Pediátrica, para garantir uma visão de qualidade, deve-se fazer o teste do olhinho na maternidade no recém-nascido. Aos 2 anos, fazer um exame completo, bem como dilatação da pupila a cada seis meses. Se estiver dentro dos parâmetros, as consultas passam a ser anuais pela vida inteira.




Nenhum comentário:

Postar um comentário